ISSN 2183 - 3990       

Download Template 

Manuscritos

O manuscrito submetido à revista E-EduPsi não pode ter sido publicado em outro meio de divulgação (jornal, revista, livro, etc.) e não pode ser simultaneamente submetido ou publicado em outro lugar.

Todas as submissões de manuscritos devem seguir as Normas de Publicação da APA: Publication Manual of the American Psychological Association (6ª edição, 2010), no que diz respeito ao estilo de apresentação do manuscrito e aos aspectos éticos inerentes à realização de um trabalho científico. A cópia do parecer da Comissão de Ética em Pesquisa, quando pertinente, deve ser enviada na submissão do manuscrito. Sem esta cópia o manuscrito não iniciará o processo editorial. Excetuam-se as situações específicas onde há conflito com a necessidade de se assegurar o cumprimento da revisão cega por pares, regras do uso da língua portuguesa, ou procedimentos internos da revista, inclusive características da submissão electrónica. 

A revisão dos manuscritos é cega quanto à identidade dos autores, neste sentido é responsabilidade destes a verificação de que não há elementos capazes de identificá-los em qualquer outra parte do manuscrito, inclusive nas propriedades do arquivo. O e-mail com os dados dos autores não será encaminhado aos consultores ad hoc.

A revista e-edupsi aceita manuscritos em português, inglês, espanhol, galego e francês.

Os manuscritos devem estar em formato doc e não exceder o número máximo de páginas indicado para cada tipo de manuscrito (iniciando no Resumo como página 1 e incluindo Resumo, Abstract, Figuras, Tabelas, Anexos e Referências, além do corpo do texto), que seriam:

Relatos de investigação - relatos de pesquisas originais realizadas, de caráter quantitativo e/ou qualitativo, apresentados de acordo com a seguinte sequência: resumo, introdução, método, resultados, discussão e referências (nº máximo de 20 páginas);

Artigos teóricos ou revisões críticas de literatura - sobre temas atuais do âmbito da psicologia e da educação, que englobem um corpo abrangente de investigação, referente a(s) matéria(s) em análise (nº máximo de 20 páginas); 

Resenhas de livros - análise crítica de obras apresentando ao leitor as suas características e contributos para o âmbito da educação ou da psicologia (nº máximo de 5 páginas);

Relatos de experiência profissional - estudos de caso que apresentem procedimentos ou estratégias de intervenção eficazes para o exercício da psicologia em diferentes áreas, ou para a intervenção em educação (nº máximo de 15 páginas). 

II. Diretrizes Gerais

A. Papel: Tamanho A4 (21 x 29,7cm). O manuscrito, sendo um relato de investigação, ao todo não deve passar do nº máximo de 20 páginas desde o Resumo até as Referências, incluindo as Tabelas, Figuras e outros Anexos que devem ser colocados no final, separadamente uma em cada página.

B. Fonte: Times New Roman, tamanho 12, ao longo de todo o texto, incluindo Referências, Notas de Rodapé, Tabelas, etc.

C. Margens: 2,5 cm em todos os lados (superior, inferior, esquerda e direita).

D. Espaçamento: espaço duplo ao longo de todo o manuscrito, incluindo Folha de Rosto, Resumo, Corpo do Texto, Referências, etc.

E. Alinhamento: esquerda

F. Recuo da primeira linha do parágrafo: tab = 1,25cm

G. Numeração das páginas: no canto direito na altura da primeira linha de cada página no cabeçalho.

H. Cabeçalho de página: deve ser inserido o título reduzido com 2 a 3 palavras aparecendo cinco espaços à esquerda do número da página. O cabeçalho é usado para identificar as páginas do manuscrito durante o processo editorial. 

I. Endereços da Internet: Todos os endereços "URL" (links para a internet) no texto (ex.: http://wokinfo.com/) deverão estar activos.

J. Ordem dos elementos do manuscrito: Folha de rosto sem identificação, Resumo e Abstract, Corpo do Texto, Referências, Anexos, Notas de Rodapé, Tabelas e Figuras. Inicie cada um deles em uma nova página.

III. Elementos do manuscrito:

A. Folha de rosto sem identificação: título em português (máximo 15 palavras, maiúsculas e minúsculas, centralizado) e o título em inglês compatível com o título em português.

B. Folha de rosto com identificação do nome do autor (ou autores) contendo: 

1. Título em português, não devendo exceder 15 palavras. 

2. Título em inglês, compatível com o título em português. 

3. Nome de cada autor, seguido de afiliação institucional e categoria profissional aquando da submissão do trabalho. 

4. Indicação do endereço eletrónico para correspondência com a revista.

C. Resumos em português: Parágrafos com no máximo 200 palavras (artigos), ou 150 palavras (comunicações breves), com o título Resumo escrito centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Ao fim do resumo, listar pelo menos três e no máximo cinco palavras-chave em português (em letras minúsculas e separadas por ponto e vírgula). O resumo em inglês (abstract), que deve ser fiel ao resumo em português, porém, não uma tradução "literal" do mesmo. Ou seja, a tradução deve preservar o conteúdo do resumo, mas também adaptar-se ao estilo gramatical inglês. A E-EduPsi reserva-se o direito de fazer a revisão final do abstract se necessário. Trata-se de um item muito importante do trabalho, pois em caso de publicação estará disponível em todos os indexadores da revista. O abstract deve ser seguido das keywords (versão em inglês das palavras-chave).

D. Corpo do Texto: Não é necessário colocar título do manuscrito nessa página. As subsecções do corpo do texto não começam cada uma numa nova página, os seus títulos devem estar centralizados, e ter a primeira letra de cada palavra em letra maiúscula (por exemplo, Resultados, Método e Discussão, em artigos empíricos). Os subtítulos das subsecções devem estar em itálico e ter a primeira letra de cada palavra em letra maiúscula (por exemplo, os subtítulos da subsecção Método: Participantes ou Análise de Dados). 

As palavras Figura, Tabela, Anexo que aparecerem no texto devem ser escritas com a primeira letra em maiúscula e acompanhadas do número (Figuras e Tabelas) ou letra (Anexos) ao qual se referem. Os locais sugeridos para inserção de figuras e tabelas deverão ser indicados no texto.

Sublinhados, Itálicos e Negritos: Sublinhe palavras ou expressões que devam ser enfatizadas no texto impresso, por exemplo, "estrangeirismos" como self, locus, etc. Não utilize itálico (menos onde é requerido pelas normas de publicação), negrito, marcas de água ou outros recursos que podem tornar o texto visualmente atrativo, pois acarretam dificuldades na secção editorial.

Dê sempre crédito aos autores e às datas de publicação de todos os estudos referidos. Todos os nomes de autores cujos trabalhos forem citados devem ser seguidos da data de publicação. Todos os estudos citados no texto devem ser listados na secção de Referências. Esta questão constitui um fator de rejeição do manuscrito sempre que não esteja cumprida.

Exemplos de citações no corpo do manuscrito:

Os exemplos abaixo auxiliam na organização de seu manuscrito, mas certamente não esgotam as possibilidades de citação em seu trabalho. Utilize o Publication Manual of the American Psychological Association (2010, 6ª edição) para verificar as normas para outras referências.

1.Citação de artigo de um único autor:
De acordo com Loureiro (2010, p. 15)….

2.Artigo com dois autores: cite os dois nomes sempre que o artigo for referido:

Lopes e Silva (2006) fizeram a análise qualitativa...

Esta análise qualitativa (Lopes & Silva, 2006)...

Artigo com três a cinco autores: cite todos os autores só na primeira citação e nas seguintes cite o primeiro autor seguido de et al., data.

A literatura desta área foi revista por Simões, Monteiro, Remondes-Costa e Relva (2006)...

Isto foi descrito noutro artigo (Simões et al., 2006).

Artigo com seis ou mais autores: cite no texto apenas o sobrenome do primeiro autor, seguido de "et al." e da data.

Porém, na secção de Referências Bibliográficas todos os nomes dos autores deverão ser relacionados.

3. Citações de obras antigas e reeditadas
De facto, Bowlby (1969/1988)

...na abordagem da teoria da vinculação (Bowlby, 1969/1988).

Na secção de referências, citar

Bowlby, J. (1988). A secure base: Parent-child attachment and healthy human development. London: Basic Books. (Original published in 1969)

NOTA: Citações com menos de 40 palavras devem ser incorporadas no parágrafo do texto, entre aspas. Citações com mais de 40 palavras devem aparecer sem aspas, num parágrafo em formato de bloco, com cada linha recuada 5 espaços da margem esquerda. Citações com mais de 500 palavras, reprodução de uma ou mais figuras, tabelas ou outras ilustrações devem ter permissão escrita do detentor dos direitos autorais do trabalho original para a reprodução. A permissão deve ser endereçada ao autor do trabalho submetido. Os direitos obtidos secundariamente não serão repassados em nenhuma circunstância. A citação direta deve ser exata, mesmo se houver erros no original. Se isso acontecer e correr o risco de confundir o leitor, acrescente a palavra [sic], sublinhado e entre aspas, logo após o erro. Omissão de material de uma fonte original deve ser indicada por três pontos (...). A inserção de material, tais como comentários ou observações devem ser feitos entre aspas. A ênfase numa ou mais palavras deve ser feita com fonte sublinhada.

Atenção: Não use os termos apud, op. cit., id., ibidem e outros. Eles não fazem parte das normas da APA (2010, 6ª edição).

D. Referências:
Inicie uma nova página para a secção de Referências, com este título centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Apenas as obras consultadas e mencionadas no texto devem aparecer nesta secção. Continue a utilizar o espaço duplo e não deixe um espaço extra entre as citações. As referências devem ser citadas por ordem alfabética pelo sobrenome dos autores, de acordo com as normas da APA (veja alguns exemplos abaixo). Utilize o Publication Manual of the American Psychological Association (2010, 6ª edição) para verificar as normas não mencionadas aqui.

Em casos de referência a múltiplos estudos do(a) mesmo(a) autor(a), utilize a ordem cronológica, ou seja, do estudo mais antigo ao mais recente. Nomes de autores não devem ser substituídos por travessões ou traços.

 

EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS:
1. Artigo de revista científica

Carvalho, M. J. (2011). As multirracionalidades no contexto da organização escolar. Revista Portuguesa de Educação, 24, 33-56.

Loureiro, A., & Cristóvão, A. (2008). A relação dos técnicos de educação de adultos com o discurso pedagógico oficial: um caso a norte de Portugal. Educação & Sociedade, 29, 1113-1135.

2. Artigo de revista científica paginada por fascículo
Bertelli, R., Bianchi, J. J. P., & Cruz, E. C. (2010). Revisão do conhecimento actual sobre a demência com corpos de Lewy. CIDESD: Boletim Informativo do Grupo da Saúde, 2(1), 7.

Monteiro, A. P., Serrano, G., & Rodríguez, D. (2012). Estilos de gestión del conflicto, factores de personalidad y eficacia en la negociación. Revista de Psicología Social, 27(1), 97-109.

Relva, I., Fernandes, O. M., & Mota, C. P. (2013). Exploration of sibling violence predictors. Journal of Aggression, Conflict and Peace Research, 5(1), 46-62. 

Rocha, M. (2012). Transferable skills representations in a Portuguese college sample: Gender, age, adaptability and vocational development. European Journal of Psychology and Education, 27(1), 77-90. DOI: 10.1007/s10212-011-0067-4. 

 

3. Artigo de revista científica editada apenas em formato eletrónico
Silva, S. C. da (2006, February). Estágios de Núcleo Básico na formação do psicólogo experiências de desafios e conquistas. Psicologia para América Latina, 5, 2006, Retrieved in May 12, 2006, from http://scielo.bvs-psi.org.br

Almeida, L., Alves, A., Fernandes, H., & Remondes-Costa, S. (2012). Sistema Nervoso Autónomo: mecanismo mecânico fonte do equilíbrio corporal. Psicologia na Atualidade. http://www.psicologianaactualidade.com/trabalhos_academicos.html

4. Livros
Escola, J. (2011). Gabriel Marcel. Comunicação e educação. Porto: Edições Afrontamento.

Ferreira, C. A. (2007). A Avaliação no quotidiano da sala de aula. Porto: Porto Editora.

Silva, H., & Lopes, J. (2011). O professor faz a diferença. Contributos do professor para a aprendizagem e realização escolar do aluno. Lisboa: Lidel – Edições Técnicas, Lda.

 

5. Capítulo de livro
Barroso, R., Manita, C., & Nobre, P. (2010). The influence of family dynamics in young sexual offendersʼ behaviours. In H. Gavin & J. Bent (Eds). Sex, drugs and rock & roll: Psychological, legal and cultural examinations of sex and sexuality (pp. 237-244). Oxford: Inter-Disciplinary Press. ISBN: 978-1-84888-031-3

Mota, C.P., & Matos, P. M. (2011). Adolescência e conflitos parentais: Uma perspectiva de resiliência. In P. M. Matos, C. Duarte, & M. E. Costa (Coords.). Famílias: Questões de desenvolvimento e intervenção (pp. 125-251). Porto: LivPsic.

6. Obra antiga e reeditada em data muito posterior

Bronfenbrenner, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas. (Original published in 1979).

7. Autoria institucional
American Psychiatric Association. (2000). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (4th ed., text rev.). Washington, DC: Author.

8. Atas em Eventos científicos
Bastos, A., & Carvalho, A.A. (2006). A utilização das tecnologias da informação e comunicação nas escolas do 1º Ciclo do ensino básico: Um estudo no concelho de Vila Real”, in Actas do 8th International Symposium on Computers in Education (pp. 213-221). Universidad de León, León, Espanha.

 

Monteiro, A. P., Rodríguez, D. & Serrano, G. (2007). Construcción de un inventario de negociación. En C. L. Guillén & R. Guil (Coords.), Psicología Social: Un encuentro de perspectivas (Vol. II, pp. 1479-1485). Cádiz: Asociación de Profesionales de Psicología Social.

 

Remondes-Costa, S.I., & Pais-Ribeiro, J.L. (2012). Depois do adoecer da mama: o sentido e o significado da vida – dois casos clínicos de crescimento pessoal em terapia psico-oncológica. Livro de Actas 9º Congresso Nacional de Psicologia da Saúde. J.L.Pais Ribeiro, I. Leal, A. Pereira, A. Torres, I. Direito, & P. Vagos (Eds.) (pp.1200-1207). Lisboa: Placebo.

Simões, M., Gonçalves, R., & Lopes, J. (2010). Adaptação do “Youth Psychopathic Traits Inventory" (YPI): Estudo preliminar. Actas do VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia. (pp.30-34). Braga: Associação Portuguesa de Psicologia.

 

9. Teses ou dissertações não publicadas 

Simões, M. (2011). Psicopatia na adolescência. Tese de Doutoramento em Psicologia, Universidade da Beira Interior, Covilhã. 

E. Anexos: Evitar. Somente devem ser incluídos se contiverem informações consideradas indispensáveis, como testes não publicados ou descrição de equipamentos ou materiais complexos. Os Anexos devem ser apresentados cada um em uma nova página. Os Anexos devem ser indicados no texto e apresentados no final do manuscrito, identificados pelas letras do alfabeto em maiúsculas (A, B, C, e assim por diante), se forem mais de um.

F. Notas de rodapé: Devem ser evitadas sempre que possível. No entanto, se não houver outra possibilidade, devem ser indicadas por algarismos arábicos no texto e apresentadas após os Anexos. O título (Notas de Rodapé) aparece centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Recue a primeira linha de cada nota de rodapé em 1,25cm e numere-as conforme as respetivas indicações no texto.

G. Tabelas: Devem ser elaboradas em Word (.doc). No caso de apresentações gráficas de tabelas, use preferencialmente colunas, evitando outras formas de apresentação como gráficos redondos, etc. Nestas apresentações evite usar cores. Cada tabela começa em uma página separada. A palavra Tabela é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo do cabeçalho e seguida do número correspondente à tabela. Dê um espaço duplo e digite o título da tabela à esquerda, em itálico e sem ponto final, sendo a primeira letra de cada palavra em maiúsculo. Não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento.

H. Figuras: Devem ser do tipo de arquivo JPG e apresentadas em uma folha em separado. Não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento. A palavra Figura é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo do cabeçalho e seguida do número correspondente à figura. Dê um espaço duplo e digite o título da figura à esquerda, em itálico e sem ponto final, sendo a primeira letra de cada palavra em maiúsculo.

As palavras Figura, Tabela e Anexo que aparecerem no texto devem, sempre, ser escritas com a primeira letra em maiúscula e devem vir acompanhadas do número (para Figuras e Tabelas) ou letra (para Anexos) respetivo ao qual se referem. A utilização de expressões como "a Tabela acima" ou "a Figura abaixo" não devem ser utilizadas, porque no processo de edição a localização das mesmas pode ser alterada. As normas da APA (2010, 6ª edição) não incluem a denominação de Quadros ou Gráficos, apenas Tabelas e Figuras.

NOTA: Todo o processo editorial da E-EduPsi é feito eletronicamente no sítio edupsi.utad.pt. Manuscritos recebidos por correio convencional, fax ou qualquer outra forma de envio não serão apreciados pelos editores.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os manuscritos recebidos eletronicamente em This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.  que estiverem de acordo com as normas da revista e que forem considerados como potencialmente publicáveis pela REVISTA EDUPSI serão encaminhados pelo editor para Editores Associados ou para avaliadores ad hoc. Os Editores Associados farão o encaminhamento de manuscritos de suas áreas de especialidade a avaliadores ad hoc e Conselheiros.

Os avaliadores poderão recomendar aos editores a aceitação sem modificações, aceitação condicional a modificações, ou a rejeição do manuscrito. A identidade dos avaliadores não será informada aos autores dos manuscritos. Os autores terão acesso às cópias dos pareceres dos avaliadores, que conterão as justificativas para a decisão do avaliador. O texto encaminhado aos avaliadores não terá identificação da autoria.

Versões reformuladas serão apreciadas por Conselheiros Editoriais, que podem solicitar tantas mudanças quantas forem necessárias para a aceitação final do texto. A decisão final sobre a publicação de um manuscrito será sempre do Editor Geral. A identidade dos autores poderá ser informada ao Conselho Editorial.

O Conselho Editorial reserva-se o direito de fazer pequenas modificações no texto dos autores para agilizar seu processo de publicação. Casos específicos serão resolvidos pelo Conselho Editorial.

No último número de cada ano da revista serão publicados os nomes dos avaliadores que realizaram a seleção dos artigos daquele ano, sem especificar quais textos foram analisados individualmente.

Antes de enviar os manuscritos para impressão, o Editor enviará uma prova gráfica para a revisão dos autores. Esta revisão deverá ser feita em cinco dias úteis e devolvida à revista. Caso os autores não devolvam indicando correcções, o manuscrito será publicado conforme a prova. Os autores de manuscritos aceites deverão enviar via correio convencional uma carta de concessão de direitos autorais para a revista, assinada por todos. 

Os artigos aceites e editados estarão disponíveis apenas eletronicamente no site edupsi.utad.pt. Autores e co-autores podem obter cópias on-line para distribuição.